1º ao 5º: Gincana Solidária da Criança promoveu encontro sobre vitórias e derrotas esportivas

PROFESSOR PAOLO ABRINDO O EVENTO QUE CONTOU COM A MEDIAÇÃO DA PSICÓLOGA MARIA FERNANDA E OS PAIS ESPORTISTAS CLOALDO AMARAL, MARCELO LOMBA E MARCUS ZIEGLER

A 3ª edição da Gincana Solidária da Criança promoveu, na noite de segunda-feira, 29/10, uma conversa sobre como lidar com a vitória e a derrota nas práticas esportivas. “Vitória e derrota nas práticas esportivas – uma questão de todos nós”, para mães, pais e crianças da etapa do 1º ao 5º ano, aconteceu no gazebo central, das 18h10min às 19h, e contou com a participação dos pais esportistas Cloaldo Amaral Filho, professor de Educação Física e Psicomotricista e pai do Pedro, do 3º ano; Marcelo Lomba, goleiro de Futebol profissional, atualmente membro do Sport Club Internacional e do João do 1º ano; e Marcus Ziegler, esportista amador de Triatlo e pai do Gustavo, do 2º ano do Ensino Fundamental.

Mediada pela psicóloga do Colégio João XXIII Maria Fernanda Hennemann, a atividade foi planejada com o apoio dos professores de Educação Física Paolo Franciozi, Juliano de Carvalho e Sérgio Santos Júnior.

O professor Paolo abriu o encontro falando sobre a importância dos jogos em grupo para fortalecer vínculos e desenvolver habilidades. Em seguida, os participantes foram convidados a pensar em momentos de vitória e perda em sua vida, refletindo sobre vivências significativas para o amadurecimento emocional na formação do indivíduo. “A noção de coletivo e a importância da experiência vivida foi opinião unânime entre o grupo, assim como situações que envolvem frustração, gratificação e superação, para que os estudantes desenvolvam cada vez mais autoconhecimento e busquem desenvolver suas capacidades”, lembra Maria Fernanda.

As crianças chamaram atenção para a importância dos momentos dos jogos de tabuleiro em família e mostraram interesse em aprender a lidar com situações que envolvem pressão no esporte. “Achei a proposta extremamente interessante, principalmente, porque envolveu as crianças e os pais, que também precisam de dicas sobre como lidar nessas situações. Além da diversão, o esporte desperta e aperfeiçoa habilidades e a presença saudável dos pais traz segurança para o desenvolvimento de aptidões”, acredita Marcus. “Foi, sem dúvida, um momento de aprendizagem para todos e de relatos afetivos entre pais para filhos”, finaliza Maria Fernanda.

%d blogueiros gostam disto: